quinta-feira, 26 de junho de 2008

O DESEJO DE SER FIEL


“E disse Salomão: Tu sempre mostraste grande amor por Davi, meu pai, e ele era bom, fiel e honesto para contigo” “1Rs 3,6

Quando uma pessoa é profundamente tocada por Deus e faz a experiência de sentir o seu amor infinito, se descortina para a sua vida um novo horizonte. A maior experiência que uma pessoa pode realizar é a de sentir o quanto é amada pelo Senhor. Isso não se dá apenas compreendendo com o intelecto. É uma experiência que envolve a totalidade da pessoa e sempre é acompanhada com a percepção de nossa pequenez, da bondade e da beleza de Deus. O surpreendente fato de sentir nossa história marcada pelo pecado e por tantas imperfeições, sendo coberta pela bondade divina nos deixa desconcertados, sem palavras e afetados profundamente. Foi precisamente assim que se sentiu Santo Agostinho ao meditar em tão grande amor:
“As lágrimas... elas descem e eu as deixo fluir como convém, fazendo delas uma almofada para o meu coração. Nelas, ele descansou.” (Confissões IX, 12). O olhar amoroso do Senhor nos surpreende: “Eu não consigo entender como tu me conheces tão bem; o teu conhecimento é profundo demais para mim.” (Sl 139,6).
Foi meditando sobre o gigantesco amor de Deus e sentindo-se alvo desse amor, que muitos santos experimentaram o êxtase, ou seja, fizeram uma entrega total a esse amor e se lançaram com coragem inquebrantável na sua vocação e missão; foram embriagados do amor divino e dele transbordaram, tornando-o conhecido em toda a terra. É precisamente disso que fala o Apóstolo Paulo: “De fato, diante de Deus nós somos o bom perfume de Cristo entre aqueles que se salvam e entre aqueles que se perdem” (2Cor 2,15). A alma, assim agraciada manifesta a alegria e a caridade e torna-se profundamente dócil à ação do Espírito Santo, invocado também na Igreja como o Óleo da alegria.
É encantador, sobretudo contemplar essa manifestação divina em um novo convertido. Como é resplandecente a alma que através do kerigma, (1º anuncio que provoca conversão), se encontra com Jesus vivo e ressuscitado e o proclama como Senhor de sua vida. Através de um caminho de fé, tantos frutos resultam dessa alma: interesse e prazer na leitura e meditação da Palavra de Deus, amor pela Igreja, participação ativa, consciente e frutuosa nos Sacramentos, principalmente na Santa Missa, prática da oração pessoal e comunitária, mudança na mente e no coração revelado por um novo estilo de vida, ardor missionário, coração marcado de caridade fraterna e aberto ás necessidades dos irmãos etc.O fiel, por sua vez, sente-se profundamente impulsionado a responder a esse amor divino. É algo tão forte que se impõe até como necessidade básica. Dentro dessa resposta está o sincero e apaixonado desejo de ser fiel a Deus. É sobre isso que falou São Josemaria Escrivã: “A tua felicidade na terra identifica-se com a tua fidelidade à fé, à pureza e ao caminho que o Senhor te traçou”. Para encorajar seu desejo de fidelidade o cristão tem também um exemplo formidável: Nossa Senhora. Ela é invocada na ladainha como a Virgem Fiel. Essa palavra (“fiel”)que nós empregamos geralmente a todos os membros da Igreja é atribuída com toda a sua propriedade a todos os cristãos que em sua peregrinação terrestre, mesmo com suas fraquezas, colaboraram com a graça de Deus e não abandonaram as esperanças e os compromissos da fé.

2 comentários:

renivaldo disse...

Olá Padre o senhor é um padre muito excelente lhe admiro muito, que deus continue te iluminnando abraço.

Anônimo disse...

O SENHOR ESTEJA CONVOSCO!PADRE SOU WILLIANE DE BELO JARDIM HOJE DIA 18 TIVE A OPORTUNIDADE DE OUVIR SUA PREGAÇÃO!E QUE PREGAÇÃO QUE DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO ÉS MUITO SABIO E CHEIO DE PAZ.TRANSMITISTES UMA ALEGRIA FOSTES COM CERTEZA ENVIADO PARA ACALMAR OS QUE SOFREM E PARA DAR TESTEMUNHOS!AGRADEÇO MUITO A DEUS E PEÇO-LHE BENÇÃOS PARA QUE O SENHOR CONTINUE SUA MISSÃO.LEVANDO A BOA NVA E A PALAVRA DE DEUS!UM FORTE ABRAÇO E MUITO OBRIGADA!